terça-feira, 19 de agosto de 2008

Quem quer ser Gisele?

Ouvi falar de um ônibus que anda circulando nas noites de Chaotic City. Dizem que é um ônibus da linha 434, Grajaú-Leblon. Mas que também pode ser da linha 107, Central-Urca. A única coisa que se sabe com certeza é que todos que pegam este ônibus transformam-se em Gisele Bündchen. Pagam a passagem, passam pela roleta, e PUF! : Gisele Bündchen. Seguem ônibus adentro, rebolando as cadeiras. Homens, mulheres, crianças, anões... ninguém escapa.
Ouvi comentários de que Gisele tem sido vista em lugares improváveis. Atrás do caixa de um supermercado. Dirigindo um táxi. Esfregando o chão do Miguel Couto. Comendo pastel no Saara.
Especula-se que tudo isso faça parte de um plano colocado em prática por uma organização fundamentalista anti-humanidade, como forma de promover o fim definitivo da espécie humana. Este ônibus seria, portanto, o primeiro de muitos. Um test drive para verificar a eficácia da experiência. Afinal, segundo palavras supostamente ditas pelo próprio líder da tal organização, Giseles seriam incapazes de procriar entre si e, portanto, de gerar descendentes pra continuar perpetuando a espécie. Hum...Particularmente tenho minhas dúvidas. Dia desses assisti a um documentário sobre escorpiões no National Geographic. Descobri que há uma raça de escorpiões onde todos os indivíduos são fêmeas. Estava tão interessante que eu dormi e perdi a parte que explicava como, mas o fato é que elas se reproduzem. E muito. E se Gisele Bündchen for uma parente distante das escorpiãs de Lesbos? Daí os planos do líder funadmentalista amti-humanidade não só iriam por água abaixo, como dariam origem a uma nova espécie de seres humanos saradona e turbinada, com incrível capacidade de auto-reprodução! Assustador... Ele teria, inclusive, se defendido publicando um manifesto - ao qual, que fique bem claro, não tive acesso, apenas ouvi falar, à boca miúda - onde declarava, dentre outras coisas, que sua única intenção é acelerar o processo de auto-destruição já iniciado pela própria humanidade...
Há quem diga que não é nada disso. Que tal hipótese não passa de teoria de conspiração, delírio de gente paranóica. Supõem que o fenômeno do ônibus transformador de gente comum em Giseles Bündchens seja fruto da mente doentia de um velho cientista nazista, que vinha trabalhando às escondidas desde o fim da Segunda Guerra num projeto mirabolante cujo objetivo seria o de trazer mais beleza à humanidade através da uniformização radical. Comenta-se que, segundo o tal cientista, a diversidade, a mistura, estariam na raiz de um suposto "enfeiamento" cada vez maior dos seres humanos. Quem já ouviu falar das teorias dele costuma dizer que ele as defende com unhas e dentes em um brilhante tratado intitulado "Em Defesa da Uniformidade do Belo", onde ele enumera as vantagens políticas e econômicas da uniformização do ser humano em indivíduos de igual beleza, tamanho, forma e docilidade. Ah, e que ele teria desenvolvido um meio de reprodução assexuada das Giseles. Afinal de contas, sexo é uma coisa atrasada e contra-producente, que só serve pra atrapalhar a jornada do ser humano rumo a um futuro brilhante.
Na dúvida entre acreditar em uma ou outra teoria, prefiro acreditar nas duas. E por via das dúvidas evito o ônibus de madrugada. Mas fica a critério de cada um o próprio destino. Você pode querer continuar sendo você mesmo. Ou não.

8 comentários:

Marie disse...

Muito bomm que viagem de texto .

Kiti disse...

Auroraaaa, muito legaal seu texto. Que viagem!!!

Será, será que as Giseles vão dominar o mundo? Deus nos livre de tanta futilidade, né?

Bjoooos

Nana Magalhães disse...

u-au.

ROQUE RASCUNHO disse...

eu já peguei essa merda de 107 por alguns anos, sempre lotado. hahahahahaha.

o que você escreve aqui é coisa boa, não desapareça, por favor!

seu poema é meticulosamente um tapa na minha cara, de tanto que sou eu tb me lendo ali.

achei ouro vindo aqui!

beijo

Leonardo Larrossa disse...

Partenogênese. É por partenogênese que os escorpiões (ou escorpiãs, sei lá) se reproduzem.

Infelizmente moro em Brasília. Fica difícil conferir. Mas que graça teria o mundo se todos fossem giseles? Chega a me dar tontura imaginar tanto rebolado nos grandes centros do Brasil.

Laura disse...

Finalmente saí da Sibéria e agora posso partilhar desse seu talento tão doooooooido!!!
Que ótimo isso, muito louco, mas ótimo!
Quero maaaaais!

Beijão, amiga!

Coral disse...

Com certeza, eu mesma, por enquanto. Porém, emfaze crescente de desistência. Mas Gisele, jamais.
Em Algum Lugar doTempo.

Renata Queiroz disse...

Adorei Aurora! (é a renata da sua turma, q largou a uff, te achei lendo o blog do márcio)
Bjos!