sábado, 24 de janeiro de 2009

A Esquizofrenia do Mundo

A esquizofrenia do mundo provoca revoadas de borboletas no meu estômago.
Enquanto caminho pelas mesmas ruas por onde caminhei toda a vida
penso no que aconteceria se pudesse andar de olhos e ouvidos fechados,
mas ainda assim andar, numa espécie de semi-autismo, ativo e voluntário.
(contraditório? absurdo?...)
Ah, mundo! Por que não me deixa em paz de uma vez?
Por que a humanidade não vai ver se eu estou na esquina?
Que os celulares derretam e os computadores explodam,
e os corretores da bolsa de valores
e os corretores de todos os seguros
e os malditos corretores de imóveis
e os corretores de alma, sangue e supostos sonhos
sejam todos jogados na rua de cueca samba-canção e narizes de palhaço
e que pelo amor de Deus, de Jah, de Buda, de Oxalá,
e de todos estes entes dos quais nunca mais quero ouvir falar,
não me dirijam mais a palavra.
Aos advogados, testemunhas de jeová, psicólogos, políticos e todos os demagogos,
aviso que não nasci.
Aos programadores, analistas de sistemas, cientistas e especialistas de todos os tipos,
aos filhos, discípulos e adoradores da técnica,
digo que sequer sei fazer fogo esfregando gravetos
e que ainda uso pedras lascadas para estripar animais mortos.
Parem de tentar me enfiar pela goela abaixo produtos de funcionalidade questionável e qualidade duvidosa.
Não tentem me vender nada. Não tentem me fidelizar.
Não tentem embotar o meu raciocínio com suas mensagens subliminares
e sua gestalt de merda. Sou cega. Sou surda.
Seu fetiche de pernas escancaradas não me seduz.
Ah, por favor, não falem comigo.
Eu mordo. Eu tenho pressa. Eu tenho raiva. Eu tenho fome.
Eu tenho um nó no peito e borboletas no estômago e olhos inchados de lágrimas.
Eu tenho uma bomba atômica e não tenho medo de usá-la.
Eu tenho acima de tudo a alma convulsiva de poesia em estado bruto.
Eu sofro.
E a única coisa que peço é pra ser deixada em paz.
Antes que o mundo me exploda
ou que eu exploda o mundo.
Antes que eu exploda.

5 comentários:

Julieta disse...

"Eu tenho um nó no peito e borboletas no estômago e olhos inchados de lágrimas"
Alma convulsiva de poesia a beira da explosao. Talvez por isso tenhamos vindo quase que do mesmo po.
Hoje tenho saudades...te amo.

marvin . disse...

tens o sentimento e não precisa de mais nada; tens a fúria de quem não suporta mais essa tática podre de guerrilha que tentam nos vender a qualquer custo; e se tens borboletas, precisas de mais o que pra voar?

visceral, Aurora, visceral; amei.


bjs, marvin.

Roberto Machado disse...

Isso, Dama! Sempre te ouço com grande atenção! Somente vocë é capaz de expor as presas vorazes do mundo! Estamos reféns destes subterfúgios vazios! Nada de sorrisos de criança, filhotes, mar azul ou amanheceres rosados! Estas coisas todas foram inventadas para nos entorpecer! Urra ao mundo como ele é!

Porém, todavia, contudo, eu sou analista de sistemas e, em termos de fetiches de pernas, abertas ou não, não preciso nem comentar. Raios! Fiquei de fora?

agua viva disse...

Muitos beijos grandes Auroraa :)

Suzana

Tchello Melo ou Marciano Macieira ou Tchellonious disse...

Exploda, amiga, contanto que seja uma devastadora aurora!!!